SEDES DE PARTIDOS EM LISBOA BLOQUEADAS POR ESTUDANTES PELO FIM AO FÓSSIL

COMUNICADO: SEDES DE PARTIDOS EM LISBOA BLOQUEADAS POR ESTUDANTES PELO FIM AO FÓSSIL

Sedes de 6 partidos foram hoje bloqueadas. Os estudantes têm consigo propostas para os partidos de como devem assegurar uma transição justa.

Esta manhã as sedes de 6 partidos tiveram as suas entradas bloqueadas por estudantes. Os estudantes impediram as entradas nos edifícios de várias formas, e têm consigo propostas de planos sobre como os partidos podem garantir perto do fim ao fóssil até 2030 e eletricidade 100% renovável e acessível até 2025, garantindo que este é o Último Inverno de Gás em Portugal. 

“Estou aqui porque as instituições não podem continuar a ignorar a crise climática que está condenar o meu futuro”, diz Vicente, que está a bloquear a entrada na sede do PSD. “Nenhum partido tem um plano adequado à realidade climática.”

Os estudantes defendem que a transição energética não pode acontecer “dentro do sistema fóssil, regido pelo mercado e que coloca o lucro antes da vida das pessoas”, defendendo ser necessária uma transição justa através de um serviço público de energias renováveis.

Têm consigo uma proposta de como isto seria possível: “Estes são os nossos termos, esta é a proposta que viemos entregar. Se algum partido quiser formar governo tem de os respeitar, pois nenhum governo pode ser legítimo se continuar a ignorar a maior crise que a humanidade já enfrentou. Estou aqui porque eles têm de se pronunciar. Querem acabar com este sistema que nos condena ou continuar a fazer parte dele?”, diz Leonor Chicó, a impedir a entrada na sede do Bloco de Esquerda.

A sede do Chega não foi bloqueada, pois os estudantes dizem que este partido está a fazer “exatamente aquilo que era esperado: ser os cães de guarda do sistema fóssil, saindo à rua para ladrar a quem se lhe opõe. O Fascismo é um sintoma deste sistema, e está ao serviço dele”, como diz Ideal, que foi a este edifício deixar à entrada brinquedos para cães.

Dia 24, os estudantes vão ocupar o ministério do ambiente, numa ação a que chamam “Visita de Estudo” e que irá partir da praça Camões às 11h. Apelam a que toda a sociedade se junte, afirmando que “não resistir é ser cúmplice do colapso climático”. 

No partido chega não deixámos propostas. Deixámos brinquedos para cães porque eles estão a fazer o seu trabalho: ser os cães de guarda do sistema fóssil.
O fascismo é um sintoma deste sistema e está ao serviço dele, por isso eles estão a ser bons cachorrinhos.

Pela soberania da informação.