Quem lucra com o apartheid é cúmplice de genocídio.

Ativistas solidárias com o Coletivo de Libertação da Palestina, o Climáximo e a Greve Climática Estudantil de Lisboa pintaram a fachada do edifício que serve de escritório à The Navigator Company, em Lisboa, onde inscreveram também a palavra “Genocida” com tinta vermelha, colaram cartazes com a frase “Quem lucra com o apartheid é cúmplice de genocídio” e fotografias do presente massacre em Gaza.

A empresa produtora de pasta celulósica e de papel é a sexta maior exportadora de Portugal para Israel, lucrando diretamente com o apartheid sionista e a limpeza étnica do povo palestiniano. Empresas como a Navigator, que aceitam normalizar este projeto colonial através de trocas comerciais, têm também sangue palestiniano nas mãos e não vão conseguir lavá-lo até boicotarem todas as organizações cúmplices com o estado sionista.

A The Navigator Company é também uma das maiores emissores de CO2 do país, perpetuadora da monocultura eucaliptal das nossas florestas e uma das empresas portuguesas que mais contribui para o colapso ambiental global com que nos deparamos. Na Palestina, a emergência climática é acelerada ainda mais pela ocupação. Segundo a Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento, o povo palestiniano enfrenta uma maior exposição a riscos relacionados com o clima – como escassez de água, insegurança alimentar e deslocamento – como resultado da ocupação israelita.

Este protesto é a segunda ação deste género esta semana. Na terça-feira, o alvo foi a Steconfer. No total, há mais de 930 empresas portuguesas a exportar para Israel. Apelamos aos cidadãos portugueses que parem de consentir com o genocídio a decorrer na Palestina, e a resistir contra as empresas que deste beneficiam.

Exigimos que a Navigator e restantes empresas portuguesas cancelem todas as exportações para o estado sionista ou empresas israelitas. Exigimos boicote, desinvestimento e sanções a todas as organizações cúmplices com a ocupação. Exigimos o fim da ocupação da Palestina e a autodeterminação do seu povo. Não assistiremos paradas ao genocídio.

notícia original em https://www.instagram.com/libertacaopalestina/ e https://www.instagram.com/gcelisboa/.

Pela soberania da informação.