Caravana Anti-Mineração e Pela Vida, a nossa viagem Ninja.

Estamos neste momento, 2-11, no comboio vindo de Braga a caminho de Lisboa, depois de mais uma missão Ninja cumprida com sucesso.

Quando na segunda-feira, 27-11, pensamos em lançar o desafio de irmos a Caravana Anti-Mineração e Pela Vida, nunca pensamos ir ou no máximo que acabaríamos por ir em alguma viatura que sairia de Lisboa, mas acabamos por vir sozinhos para mostrar a caravana a quem não pode marcar presença.

Como estamos a testar uma nova ferramenta os nossos lives não estão a sair completos, por baixo dos vídeos dos lives tens vídeos mais longos.

Saímos dia 30 de Novembro da estação do Oriente para uma viagem de aproximadamente 4 horas, noite dentro, com destino a Braga, onde alguns elementos da Rádio Paralelo nos receberam para pernoitar.

No dia 1 de Dezembro pelas 11h00 partimos rumo a Morgade o ponto de início desta caravana e enquanto ia-mos apreciando as magníficas vistas tentamos definir como ia-mos fazer a cobertura da caravana, algo que como habitual acabou por acontecer de uma forma totalmente diferente da planeada.

Chegamos a Morgade às 13h15, já um pouco atrasados, depois de cumprimentar todos os amigos, de vários pontos de país que fizeram questão de marcar presença, lá arrancamos numa já grande caravana de cerca de 70 carros que entretanto foi aumentando, chegando facilmente a centena de carros no final.

No percurso passamos também na zona da antiga Mina da Borralha, que querem reactivar, onde é mais que evidente o impacto que a mina tem no território em redor, com grandes vertentes completamente sem vegetação devido a deposição de inertes da anterior mineração.

Especialmente agora com as deslocações de terras promovidas pelas máquinas no terreno trazem ao de cima ainda mais o metais pesados resultantes da antiga mineração que pode colocar em risco a saúde das várias pessoas que ali se dirigem para fazer caminhos pedestres, ignorando o real risco de andar naqueles territórios, bem como os pequenos agricultores locais que vêm as suas plantações de subsistência contaminadas com metais pesados.

O percurso foi pensado para passar nos 4 sítios de Terras do Barroso já com projetos de mineração aprovados, sendo que tanto em Covas do Barroso como na Borralha as máquinas já estão no terreno e no caso específico de Covas do Barroso a população está em constante vigília dos trabalhos, já que por mais que umas vez as maquinas afectas ao projecto de mineração tentaram entrar nos baldios partilhados pela comunidade, fundamentais para a exploração agro-silvopastoril tão praticada nesta zona.

Para o fim ficou Terras do Barroso, local onde se realiza todos os anos o Acampamento Minas Não , e ali mesmo no Largo da Aldeia, com a Capela, o Forno Comunitário, o campo de futebol e a Quinta do Cruzeiro como pano de fundo os movimentos presentes tal como alguns autarcas tomaram a palavra durante uma conferência de imprensa onde ficou bem patente que por eles os vários projetos, 14 que ocuparão 10% do total do território, não vão avançar.

E foi já com um sentimento de missão comprida e com a mochila as costas pronto para seguirmos para Lisboa de boleia que percebemos que afinal a boleia não se ia confirmar o que nos lançou numa nova aventura que já não cabia no nosso orçamento esgotado o que nos levou em pensar em novas formas de financiar a viagem de volta.

Esta nova aventura começou logo com uma assistência médica a um local no café de Covas do Barroso que caiu e abriu a cabeça, depois da assistência com recurso ao kit médico com que os nossos Ninjas habitualmente têm, voltamos de novos a Braga para passar mais uma noite com os companheiros da Rádio Paralelo e enquanto degustávamos uma bela bolonhesa de soja fomos partilhando as experiências vividas neste dia que para nós estava a ser especialmente sentimental, tanto porque foi a primeira vez que viajamos apenas e só com donativos vossos, bem pela relação pessoal que temos com a terra apôs marcarmos presença em 3 edições do Acampamento Não às Minas.

No sábado, 2 de Dezembro, já com a viagem garantida, graças a mais donativos vossos, lá deixamos o nosso porto de abrigo e a pé rumamos em direção a estação de comboio de Braga para apanhar o Intercidades rumo a Lisboa em que aproveitamos para fazer estas magníficas fotos dos nossos Ninjas em turismo.

Mais uma vez um enorme obrigado por todos vós que contribuíram para a realização desta viagem, seja através de donativos, alojamento, transporte e a simples companhia.

Vamos aqui mas já a pensar nos planos da próxima semana, com destaque para a Manifestação todos pela Palestina e pela Paz no Médio Oriente! no dia 8 e a Manifestação Resistência Climática no dia 9, pelo que se quiseres ajudar a cobrir os custos associados a este trabalho entra em contacto connosco via mensagem.

Pela soberania da informação