Barcelona despeja 3 Centro Sociais Okupados em 1 só dia.

No passado dia 30 de Novembro os Moços da Esquadra, Polícia da Catalunha, despejaram 3 centros sociais ocupados em Barcelona.

Linha de Tempo:
https://beteve.cat/societat/desallotjament-kubo-ruina-bonanova-barcelona/

Foto Galerias dos despejos:

https://beteve.cat/societat/galeria-imatges-desallotjament-kubo-ruina/

Algumas vídeo reportagens:

El Kubo foi ocupado pela primeira vez em 2015, embora tenha sido desocupado e reocupado em 2018, um ano depois, La Ruina, foi ocupada, ambos lado a lado na zona de Bonanona e o Estudi 9 na zona de Santa Coloma de Gramenet .


Todos foram invadidos em simultâneo por uma mega operação policial, que pouco depois das 5 da manhã se começou a reunir nas imediações dos Centros Sociais Okupados, e pouco depois fizeram o último aviso para abandonarem os edifícios, isto já depois de na véspera a noite terem retirado alguns vizinhos das suas habitações em preparação dos despejos que se registaram.

Também os Centros sociais estavam preparados para o despejo, já que há alguns dias que circulavam apelos na internet para a presença popular no local para parar os despejos e para participar em várias manifestações em solidariedade bem como a montagem de barricadas em algumas okupas.

Às 07h00 da manhã começaram a circular na internet os primeiros pedidos de solidariedade mediante a presença de um grande efetivo policial junto ao centros sociais.

À chegada aos Centros Sociais os Moços de Esquadra foram recebidos por petardos, bolas de golf e posteriormente quando tentaram entrar nos Centros Sociais com balões de tinta, rolamentos e bombas de fumo, o que levou a polícia a recorrer a uma gaiola de ferro para se acercarem dos edifícios.

https://twitter.com/i/status/1730099043538178451

Em paralelo as manifestações contra os despejos iam jogando ao Gato e ao Rato com os Moços de Esquadra tentando chegar as imediações das okupas que estavam isoladas pela força policial, acabando por se registar algumas cargas para tentar desmobilizar as centenas de pessoas que se juntaram solidárias.

Os Moços de Esquadra vinham preparadas para a resistência e para uma operação prolongada já que mobilizaram mais de 40 carrinhas, mais de 400 policias e até um helicóptero para as ocorrências numa operação que custou cerca de 150.00€.

A desocupação acabou por demorar mais tempo que o esperado pelo Moços de Esquadra, cerca de 5 horas para La Ruïna i El Kubo e 7 para Estudi 9, muito devido ao facto de 1 okupa se ter pendurado numa corda no exterior do edifício em La Ruïna e outros resistirem no telhado de El Kudo, no Estudi 9 2 okupas submergiram as mãos dentro de baldes com cimento e outros 4 acorrentaram-se.

No final 7 pessoas foram detidos, sendo que 2 tiverem de ser levados ao hospital para receberem assistência médica, 1 com o braço em estado crítico após a intervenção da policia para retirar os seus braços de dentro do balde com cimento no Estudi 9, para serem presentes a tribunal.

Logo ai começou a surgir uma grande onda de solidariedade por parte de outras Okupas em Espanha e no Mundo e a decisão de realizar uma manifestação de Solidariedade no dia 2 de Dezembro

Antes da Manifestação de dia 2 em solidariedade com o despejo da La Ruïna i El Kubo o Moços da esquadra rodearam o local de início e identificaram todos os que pretenderam se juntar a manifestação o que acabou por uma rápida desmobilização da mesma.

Tal como dizem os okupas: NADA ACABOU, TUDO CONTINUA.

Se no início estas okupas podiam parecer simples atos de rebeldia, hoje em dia com a gentrificação e o aumento do custo de vida começam a desempenhar uma função de Centro Social, surgindo como espaços seguros para minorias, servindo refeições, como espaços para a Cultura, Oficinas substituindo o afastamento cada vez maior dos governos da realidade das ruas.

Em Portugal já foram criadas várias okupas do género em várias cidades, sendo que a Es.Col.A da Fontinha no Porto e São Lázaro 94 em Lisboa são talvez os exemplos recentes mais conhecidos.

Pela soberania da informação